quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A Raça Boxer

O primeiro Boxer apareceu em 1895 em Munique : no decorrer de uma exposição de cães São Bernardo, naquela ocasião foi apresentado "Flocki", o primeiro exemplar Boxer inscrito no livro de criação da raça. Flocki nasceu de um Buldog chamadoTom, "Bullenbeiser".
Esclarecemos que o "Buldog" alemão não é comparável com o Buldog inglês moderno, sendo muito mais parecido com o actual Buldog americano..
A raça que parece ter nascido de um casual e afortunado cocktail, entre as origens do proveniente de Bremen e posteriormente adquirido pelo Dr. Toenniessen de Munique , e de uma fêmea de raça imprecisa, Alt's Scheckin, certamente descendente de molossoides de pelo médio, e um tempo difusos na Alemanha com o nome de sonho e da teimosia de querer dar vida a um cão quase extinto, porém bem radicado na cultura alemã. A tentativa de recriar aquele molossóide de pelo médio, utilizado para a caça de grandes presas selvagens, a custódia dos rebanhos e dos casebres rústicos,muito mais do que para a companhia e a defesa do homem, onde as origens se perdem nos primórdios da civilização.
Certamente naqueles tempos o Boxer não existia, mas é realista deduzir, dos restos arqueológicos e das imagens transmitidas de alguns baixos relevos, que os povos celtas, os romanos e os gregos, conheciam e treinavam cães molossóides fortes, "massudos" e potentes, destinados a caça dos grandes selvagens, a guarda, a defesa e mais tarde, também para a guerra; as legiões romanas de Júlio César empregaram cães de guerra na Birmânia 55 A.C., e que encontraram molossoides enormes coma boca larga definidos pelos mesmos legionários como "pugnaces". Voltando as origens do Boxer, em 1894 estabeleceu-se em Munique um oficial do exército alemão, Friederich Roberth, cinólogo, que se interessava pela preparação dos cães para uso militar. Em Munique Roberth conhece Erald Konig Rudolf Hopner, ambos empenhados no estudo dos possíveis empregos do Ariedale terrier, raça seleccionada dos Ingleses que adestravam e os utilizavam para fins bélicos. Naquela época a Alemanha manifestava as suas miras espancionistas coloniais e forte era o desejo de criar e seleccionar raças caninas autóctones, sendo em 1893 Max von Stephanitz, capitão da cavalaria iniciou a selecção do Pastor alemão, e poucos anos mais tarde, em 1899, Her Doberman criava a raça que leva seu nome.Voltando a Roberth , Konig e Hopner , a ideia que tinham era de um molossoide de pelo médio, representado na época de "Bierboxer", com a potência e a funcionalidade do Bullenbeisser, um molosso de pelo longo, quase extinto, que no século XVIII adquiriu grande fama pelos feitios de Tyras fiel companheiro de Mathias Klostermaier,um famoso bandido protagonista de uma história romântica e trágica. Resumindo, um cão forte, sóbrio e orgulhoso e sobretudo leal e confiável de se poder utilizado também para fins militares. Assim, pouco depois, do primeiro aparecimento de Flocki, nascia o Boxer Clube Alemão que em 29 de março de 1896 que deu origem, sempre em Munique, à primeira exposição desta nova raça canina.
A Assembleia Geral dos novos sócios do Boxer Club Alemão, de 14 de julho de 1902define o primeiro padrão da raça que foi actualizado em 1905em 1920 (foi aumentado o pêlo) , em 1925 (foram excluídos os exemplares com a capa preta e branca) e sucessivamente em 1938 se excluíram os Boxers malhados. Os primeiros exemplares da raça foram duas fêmeas (Blanka von Argentor e Meta von Argentor Passage), dois machos (Wotan e Flock-St. Salvator).
Etapas da Evolução
O caminho entre Flocki e o boxer actual não foi obviamente um passeio e alguns boxers merecem uma referencia histórica : Rolf von Vogelsberg , Lustig von Dom e Whitherford Hot Chestnut. Rolf, filho de Kurt von Pfalzagau e de Venus von Vogelsberg , nasceu em 1908 e revelou imediatamente dotes de campeão : tigrado , tinha uma altura à cruz de 59 cm , que para aqueles tempos era um verdadeiro record, e unia uma grande elegância a uma potente musculatura . Rolf não teve muitos filhos , mas bastou-lhe um Rolf Von Walhall para merecer uma referencia na criação do boxer moderno. Rolf júnior produziu uma numerosa descendência que foi a base de cria suíça , sueca e dos estados unidos no principio do século xx.
A criação que seguramente teve o maior peso na selecção da nova raça foi o "von Dom" do casal Stockman que a operam, após a morte do marido foi conduzido pela grande paixão de Frau Friederun; a essa criação se deve um dos primeiros cães que melhor representavam a raça pela tipicidade e carácter, um excepcional campeão: Lustig von Dom..
Este cão, nascido em Dezembro de 1933, em apenas quatro anos, dominou nos ringues alemães conquistando todos os títulos da categoria, a sua fama ultrapassou cedo os confins da Europa, tanto que em 1937 a família Stockman, cai em graves problemas económicos, foi salva por Lustig, que foi adquirido por uma cifra notável de um mediador americano. Nos Estados Unidos, Lustig, e depois dele, 41sua fama ultrapassou cedo os confins da Europa, tanto que em 1937 a família Stockman, cai em graves problemas económicos, foi salva por Lustig, que foi adquirido por uma cifra notável de um mediador americano. Nos Estados Unidos, Lustig, e depois dele, 41os seus filhos conquistaram o título de campeão americano. Na Alemanha Lustig foi o pai de quarenta filhotes, transmitindo sempre a sua descendência, mista as outras linhagens de sangue, as suas peculiaridades. Sintetizando, deixamos aquilo que ocorreu nos anos 50, que atravessaram uma década de ouro para a criação alemã e também para criação italiana, para assinalar nos anos 60 um evento que trouxe uma novidade na criação do Boxer..
Karin Rezewski, titular da criação "von Schutting", importou para Bremen em 1960 da Inglaterra um filhote"Hot Chestnut" proveniente da criação Whitherford, que no Boxer havia privilegiado a elegância e a classe, sem perder a tipicidade manipulando as descendências de Lustig com exemplares de origem americana..
Pretendendo que cada boxer tenha como nos humanos as suas particularidades, ocorre dizer que do carácter de cada bom Boxer transparece a sua essência que contrapõe o desejo de aderir a vontade de seu companheiro, a atenta e contínua e benevolente competição.
Essa tipicidade, derivada dos seus antepassados, faz-se que um bom Boxer vive para estar ao lado de seu companheiro humanopara oferecer-lhe protecção e companhiasem nunca expressar uma completa submissãocom extrema lealdade e dignidade sem sombra de cobardia.
No que diz respeito aos outros cães a sua forte individualidade não o induz a conflitos, mas a uma competição que é a base de recíproca compreensão, colaboração e respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário